Foto: Vico Chamla

Hopkinson Smith

Nascido em Nova Iorque, Hopkinson Smith é um dos mais notáveis alaúdistas do nosso tempo. Diplomou-se por Harvard em 1972, vindo para a Europa no ano seguinte, para estudar com Emilio Pujol e com o grande pioneiro do alaúde Eugen Müller-Dombois. Fixou-se em Basileia (onde ainda reside) e depressa se inseriu na activa cena dos agrupamentos de música antiga, sendo um dos elementos fundadores do Hespèrion XX, de Jordi Savall.
Desde há 40 anos que Hopkinson Smith se dedica em exclusivo a instrumentos de corda dedilhada do Renascimento e Barroco (alaúdes, guitarras, vihuela, tiorba) e seu repertório (original ou transcrições). Esse trabalho transparece da sua discografia, que percorre todas as principais tradições europeias do tempo (italiana, espanhola, francesa, inglesa e alemã) até à música de J. S. Bach – trasncrições para alaúde das Sonatas e Partitas para violino solo e das Suites para violoncelo – e que lhe valeu inúmeras distinções das revistas especializadas.
Ao mesmo tempo, manteve uma intensa carreira internacional pela Europa, Américas, Oceânia e Extremo-Oriente, entre recitais e masterclasses. Estes incluiram duas deslocações à Palestina em 2007 e 2009, sob os auspícios da Fundação Barenboim-Said e do Arts Council da Suíça.
Em 2010, a região italiana da Apúlia atribuiu-lhe o seu Prémio de Música, declarando-o “mestre dos mestres, intérprete máximo das músicas para alaúde da antiga Europa mediterrânica”.
Hopkinson Smith é Professor na Schola Cantorum Basiliensis, na Suíça.

26 JUN 21h

Recital de Alaúde e Vihuela
Siglo de Oro & Golden Age